• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Stalker, Tarryn Fisher

    Deprimida após sofrer um aborto espontâneo, Fig Coxbury passa seu tempo em praças observando as crianças que poderiam ser a sua filha. Até que uma menininha brincando com a mãe desperta uma obsessão. Logo, Fig se vê mudando de casa e de bairro não por necessidade, mas porque a casa vizinha oferece tudo o que ela mais deseja: a filha, o marido e a vida que pertence a outra pessoa.
    Stalker
    Ano: 2018 
    Páginas: 256
    Idioma: português 
    Editora: Faro Editorial


    “Quando a gente vive no interior da própria cabeça o tempo todo, as coisas se distorcem. ”

    A vida de Fig se transforma depois que ela sofre um aborto e, ao visitar uma médium, fica sabendo que a sua filha vai reencarnar em alguma criança próxima a ela e elas, enfim, ficarão juntas. Com essa ideia na cabeça, Fig passa a observar Mercy, uma menininha que ela encontra no parque com a mãe Jolene, que ela passa chamar de Mãe Desnaturada e a criticar todas as atitudes, vendo defeitos em tudo o que a coitada faz.

    A obsessão de Fig é tão grande, baseada na certeza de que Mercy é a sua filha encarnada, que ela segue Jolene, descobre onde ela mora, compra uma casa ao lado da casa de Jolene e se torna amiga da família.


    Depois de conquistar a amizade de Jolene, ela decide que ter Mercy para ela não é o suficiente, ela também quer Darius, o psicólogo marido de Jolene, pois ela não merece a filha perfeita nem o marido apaixonado que tem por não saber trata-los bem nem os valorizar.  

    Apesar dos avisos de que Fig a imita, faz tudo o que ela faz, copia suas roupas, seu corte de cabelo e até os objetos de decoração, e do alerto do marido de que ela é uma sociopata, Jolene acha que Fig é apenas uma mulher solitária e com uma vida sofrida, que precisa ser compreendida e de amigos ao seu redor.

    O livro é divido em três partes e cada uma é contado por um personagem e isso lhe mostra que ninguém é muito normal nessa história: Fig com a sua obsessão pela vida de Jolene, Jolene sempre em negação do que acontece à sua volta e Darius com suas taras. E o que poderia tornar o livro fantástico e ajudar o leitor a construir e desvendar a história é justamente onde a autora tropeça e deixa o final confuso e nada crível.

    A escrita é fluída, e você se vê devorando o livro para saber o final, mas esse é um daqueles livros que compensa mais pelo durante do que pelo seu desfecho nada convincente...

    Apesar disso a Faro continua dando um show de diagramação, tradução e capa.


    Meu conselho? Leia, leia sim e tenha sua própria versão do que acontece.


    13 comentários :

    1. Nossa, que história!! Fiquei bem curiosa com isso, mas pensar que o final pode deixar mais dúvidas que explicações me desanimou um pouco. Está na lista mesmo assim pq adoro esse estilo de leitura!

      ResponderExcluir
    2. Li alguns comentários sobre esse livro, e o que pude perceber é que é bem louco. Essa é a primeira resenha, e acredito que dá pra confirmar essa loucura.
      Fig é uma personagem obsessiva, acho que perdeu o equilíbrio do que real e não.
      Não tenho em interesse em ler, mas pelo visto dá pra ter ótimos questionamentos.

      Beijos

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Sim, fig é bem louquinha mesmo, mas o comportamento estranho dela nos faz pensar sobre muita coisa que acontece ao nosso redor.

        Excluir
    3. Drika!
      Gosto de livros que trazem distúrbios psicológicos, mesmo que não seja algo tão impactante, deve ser uma história interessante, ainda mais por ter sido real.
      Acredito que o final aberto, seja talvez por isso mesmo, por ser a vida da autora e portanto, não dava para colocar um final fechado, penso assim.
      Fiquei interessada no livro.
      cheirinhos
      Rudy

      ResponderExcluir
    4. Eu já tinha visto esse livro em outro lugar, e lendo a resenha fiquei com bastante vontade de ler, mesmo com esse tal final
      Gosto bastante desse tipo de história

      ResponderExcluir
    5. Este livro foi um dos grandes lançamentos do ano passado e não vejo a hora de poder ter e lê-lo!
      Fiquei lendo a resenha e me colocando no lugar desta mulher. Talvez até agisse igual. Como saber??
      Doentio,mas ao mesmo tempo, triste e devastador.
      Com certeza, quero demais poder conferir!
      Beijo

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. sim, julgar é fácil. Mas se estivéssemos na pele do personagem, será que agiríamos diferente???

        Excluir
    6. Amo esses trillers que trazem o psicológico como mote para um bom suspense. Já ouvi coisas boas e ruins deste livro e é justamente por isso que a sua resenha só me instigou ainda mais a lê-lo. Vai pra lista! Um beijo! ;)

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. é bem isso, vc vai encontrar pontos fortíssimos e outros nem tanto, mas não deixa de ser uma leitura recomendada.

        Excluir
    7. Achei que o livro tem um design bem bonito.
      Uma pena a história ter uma queda no final, mas infelizmente acontece na maioria dos livros kkkk

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!