Desintegrados, Neal Shusterman


A Fragmentação tornou-se um grande negócio com poderosos interesses políticos e corporativos em jogo. O governo não quer apenas continuar com ela, como também expandi-la. Cam foi feito inteiramente com as melhores partes de fragmentados e, tecnicamente, ele é um garoto que não existe. Um verdadeiro Frankstein do futuro, que luta para encontrar sua identidade e se questiona se um ser como ele pode ter alma. Quando as ações de um sádico caçador de recompensas ameaçam a causa de Connor, Lev e Risa, o destino de um deles é ligado ao de Cam. A aguardada sequência de Fragmentados desafia a suposição de onde começa e termina a vida e o que realmente significa viver.
Desintegrados
Bem-vindo a um mundo onde um corpo vale mais do que a vida
Fragmentados #2
Ano: 2017
Páginas: 416
Idioma: português 
Editora: Novo Conceito

Segundo livro da série Fragmentados (resenha aqui), Desintegrados vai mostrar a saga de três personagens incríveis e de como suas vidas se cruzaram.

Lembrando que a história se passa em um mundo distópico onde a vida humana é intocável até que a criança complete 13 anos de idade. Dos 13 aos 18 os pais tem o direito a enviarem para a ‘fragmentação’, processo cirúrgico em que a pessoa é desmembrada e seus órgãos saudáveis ficam disponíveis para doação. Assustador? Sim e não.

Nossos protagonistas são: Starkley, o garoto rebelde que quer conquistar poder e liberdade; Miracolina, um dízimo, criada para ser fragmentada para que outra pessoa pudesse viver e satisfeita com essa condição, acredita que esse é seu objetivo de vida; e Cam, o primeiro ‘humano’ totalmente construído a partir de fragmentos de outras pessoas, praticamente a criatura do Dr. Frankenstein.
E Cam é realmente o ponto que vai colocar todas as convicções em cheque. Inteligentíssimo, extremamente saudável, ele é o modelo perfeito de ser humano. De um lado os creditam que ele é um grande passo para a evolução da humanidade, de outro lado os que defende que ele é uma aberração. E no meio de toda essa discussão está Cam, que não se entende, não sabe quem é de verdade.

Os personagens são extremamente bem construídos e é através de seus diálogos que você vai encontrar as partes mais inquietantes dessa história. Afinal o processo de fragmentação é um fenômeno cultural, mas que envolve o lado moral e religioso das pessoas e toda a economia do mundo.

Desintegrados continua a missão que Fragmentos começou de nos inquietar em relação a várias questões com até onde o Governo tem o direito de controlar a vida dos cidadãos?  Até que pontos os pais podem determinar o que será feito da vida dos seus filhos? Pode uma religião determinar que deve viver e quem deve morrer?

De leitura fácil, com uma história original e assustadora, Desisntegrados é uma leitura obrigatória para os amantes da distopia. 


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!