Para Sempre, Alice, Lisa Genova


Alice Howland é uma mulher feliz, bem casada e com três filhos crescidos, que está no auge de sua carreira como professora universitária. De repente, ela percebe que está começando a se esquecer das coisas. Conforme a confusão nubla cada vez mais sua mente e a memória dela continua a traí-la, ela recebe um diagnóstico que mudará sua vida para sempre: mal de Alzheimer precoce. Corajosa e independente, Alice luta para manter seu estilo de vida e viver o presente ao máximo, mesmo com seu senso de identidade escapando por entre os dedos. Este livro best-seller do The New York Times é um retrato fiel e realista de uma pessoa que lentamente vai perdendo seus pensamentos e suas lembranças para o mal de Alzheimer e nos ensina que, mesmo com os aspectos da vida desaparecendo de nossa mente aos poucos, cada dia também traz uma nova oportunidade de viver e amar.
Para Sempre Alice
Ano: 2019 
Páginas: 320
Idioma: português
Editora: HarperCollins

“Para sempre Alice” é o romance de estreia da escritora e neurocientista Lisa Gênova. Seu talento como escritora aliado ao seu conhecimento como neurocientista abrilhantam essa história sensível e comovente.

Nossa protagonista é Alice Howland, 50 anos, professora de psicologia cognitiva na Universidade de Harvard e especialista em linguística de renome mundial. Casada com John Howland, biólogo que pesquisa a cura para o câncer. O casal tem três filhos: Ana, advogada, casada e com problemas para engravidar; Tom, estudante de medicina e Lydia, a que decide seguir o caminho das artes e estudar teatro longe de casa. Atitude que sua mãe desaprova e é um ponto de conflito entre ela e o marido.


Alice leva uma vida corrida, viaja frequentemente, é convidada para dar aulas e palestras em vários lugares do mundo e até já escreveu um livro junto com John. Mas a vida dela começa a mudar em setembro de 2003 quando percebe que leu a mesma frase três vezes e não conseguiu entender o que estava escrito. Ao esquecer uma palavra no meio de uma conferência, Alice começa a se preocupar. Mas é quando ela esquece o caminho de volta para casa depois de uma corrida pela vizinhança que percebe que algo de errado pode estar acontecendo.

Meses depois do primeiro susto, ela é diagnosticada com Alzheimer de início precoce, uma doença genética e rara em pessoas de sua idade. Com muita relutância por pura dificuldade de aceitar o diagnóstico, Alice conta ao marido e aos filhos e pede que eles façam o teste na esperança de não ter deixado essa herança cruel para eles.

" - Desculpe-me por ter essa doença. Não suporto pensar no quanto isso vai piorar. Não suporto a ideia de um dia olhar para você, para esse rosto que eu amo, e não saber quem você é. "


A partir daí acompanhamos a luta diária de Alice para conviver com a doença e manter a sua rotina com professora. Mas nada é fácil a partir de agora. Ela cancela viagens a congressos, recusa palestras e chega a esquecer que ela é ela a professora da aula que acredita que o professor não foi.

Enquanto isso, John tenta de todas as formas encontrar um novo estudo que possa ajudar na cura ou barrar os sintomas, estuda tudo o que já foi pesquisado, vai a congressos sobre o tema, mas nada aparece com uma possível solução para o caso de Alice.   

“Meus ontens estão desaparecendo e meus amanhãs são incertos. Então, para que eu vivo? Vivo para cada dia. Vivo o presente. Num amanhã próximo. Esquecerei que estive aqui diante de vocês e que fiz este discurso. Mas o simples fato de eu vir a esquecê-lo num amanhã qualquer não significa que hoje eu não tenha vivido cada segundo dele. Esquecerei o hoje. Mas isso não significa que o hoje não tem importância.”


Além da trajetória de Alice, o livro mostra como a família tenta lidar e se adaptar a essa nova realidade. O lado bom de tudo isso é como Lydia, antes tão distante, se aproxima da mãe.
Mas Alice não se dar por vencida, ela cria um grupo de apoio para pacientes que estejam na mesma situação e eles se ajudam mutuamente. Ainda assim não é fácil ver como Alice vai se tornando cada vez mais dependente da ajuda dos outros. Mas Lisa Gênova trata do tema com muita leveza e sensibilidade, nos mostrando como a vida é cheia de surpresas e que precisamos estar preparados para enfrentar o desconhecido.


Recomendo a leitura para todos. Afinal, nunca se sabe em que papel você pode estar no futuro, se na posição de ajudado ou de ajudador. 


Um comentário

  1. Este filme é uma verdadeira lição de vida do início ao fim! Primorosamente interpretado, mas trazendo não somente o começo da doença, suas limitações, mas a batalha crua da família em entender e conseguir ajudar.
    Por isso, acredito que livros assim sejam sempre muito bem-vindos a todos nós.
    Esta edição está maravilhosa e com certeza, já foi para a lista dos desejados e oh, veja o filme!!!!
    Beijo

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!