A Sala das Borboletas, Lucinda Riley

Posy Montague está prestes a completar 70 anos. Ela ainda vive na Admiral House, a mansão da família onde passou uma infância idílica caçando borboletas com o pai e onde criou os próprios filhos. Porém, a casa está caindo aos pedaços e Posy sabe que chegou a hora de vendê-la.
Em meio a essa angustiante decisão, ela precisa lidar com os dois filhos, tão diferentes entre si. Sam é um fracasso nos negócios e, a cada empresa falida, se torna um homem mais amargo. Já Nick, o mais novo, retorna de repente à Inglaterra depois de dez anos morando na Austrália, fugido de uma decepção amorosa.
Para completar, Posy reencontra Freddie, seu primeiro amor, que agora deseja explicar por que a abandonou cinquenta anos atrás. Ela reluta em acreditar nessa súbita afeição, percebendo que ele tem um segredo devastador para revelar.
Mesclando narrativas do presente e do passado, A sala das borboletas mais uma vez mostra a habilidade de Lucinda para criar uma saga familiar inesquecível.
A Sala das Borboletas
Ano: 2019
Páginas: 496
Idioma: português
Editora: Arqueiro

Desde os primórdios sabemos que famílias são complicadas e que geralmente muitos segredos são guardados, na família de Posy não é diferente e desde pequena ela precisa aprender a lidar com os segredos guardados e com as reviravoltas da vida. Perder o pai tão nova e ser abandonada pela mãe fazem da jovem Posy uma moça que embora traga uma tristeza profunda no coração e um ressentimento contido, ainda aprende que é possível sim seguir em frente graças a sua avó e na vida adulta ela consegue passar para os filhos tudo aquilo que não recebeu. Mas será que tudo aquilo que a família conhece desde sempre é verdade? E a fachada de boa família se mantém quando as portas se fecham? É possível conviver guardando segredos que podem mudar para sempre o rumo de uma história, mesmo depois de alcançar a velhice? São perguntas difíceis de conseguir respostas, mas que precisam ser respondidas para que todos possam enfim seguir em frente.

“Muitas pessoas andam por aí cegas à beleza e à magia que existe em volta. ”

Narrado em terceira pessoa e com um enredo girando em torno de sete personagens, muitos bem trabalhados e com personalidades fortes, a história retratada por Lucinda Riley é um romance que vai além da vida amorosa dos personagens, mas trata também a convivência familiar e do que é certo ou errado. Posy é uma personagem cativante e durante a leitura conseguimos viajar por seu passado e entender como a vida atual dela foi gerada. Durante a narrativa vamos conhecendo além dos personagens da vida pregressa de Posy aqueles que fazem parte do seu presente e com isso vamos desvendando os segredos que envolvem a família Montague e como eles conseguem se libertar de suas prisões ao longo da história.

“Lembre-se de que você é só uma entre bilhões de formigas andando pela face da terra, tentando sobreviver. “

O que mais me cativou nessa história foi como a autora conseguiu nos mostrar não só sobre o passado e presente da personagem, mas também tratar de assuntos extremamente importantes como o abuso psicológico e físico, mostrando não só como as mulheres sofrem com situações do tipo, mas também como elas podem se livrar desses problemas, além disso a autora consegue retratar como a presença da família e amigos são importantes nessa situação. A força de Posy e a forma como ela reage as situações que lhe cercam nos faz enxergar a vida de forma diferente e isso só é possível de ver por conta da escrita incrível de Lucinda Riley.

“(...) eu sabia que não eram só as coisas que aconteciam com a gente que importavam, mas como a gente lidava com elas. “

A minha única ressalva para essa história é que em alguns momentos ela se torna um pouco arrastada pela riqueza de detalhes e situações vividas pelos personagens, coisas que poderiam ter sido reduzidas, fora isso é uma história brilhante e que precisa ser conhecida, principalmente por ser tão real dentro da nossa realidade atual. Além disso o final é de fazer lágrimas escorrerem, principalmente se você, assim como eu, é uma pessoa sensível.

Então por enquanto é isso, espero que tenham curtido até aqui e se já leu não deixa de contar o que achou e se concorda com a minha opinião, vejo vocês em breve, um forte abraço e até mais!

2 comentários

  1. Olá! Gostei muito da resenha e fico desanimada de continuar a leitura quando tudo se arrasta. Antes me forçava até terminar um livro e hoje em dia me libertei e parei com isso, acho que foi a melhor coisa, mas é lógico que desistir só quando realmente não gostamos, forçar um pouco a leitura e ver que tem coisas ótimas também é maravilhoso.
    Beijocas.


    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Lucinda é Lucinda e eu sou apaixonada pelas letras da autora!!! Este livro está na minha meta de leituras deste novo ano e espero conseguir ler a obra bem em breve!!!
    Ela peca mesmo por muitos detalhes as vezes..rs mas eu amo muito tudo isso. Essa mistura de passado e presente que ela coloca em seus enredos, me encanta!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!