O renascimento em outras terras, Silvia Gerschman

O livro trata da historia de uma família. Esta história percorre o século XX, o XXI e vai até os dias de hoje. Inicia com dois irmãos feito prisioneiros do exército alemão, na Primeira Guerra Mundial ocorrida em 1914. A decisão de ambos foi fugir do campo de exploração de carvão onde eram prisioneiros e trabalhavam sob condições de escravidão. Para garantir a liberação ninguém podia saber dos seus planos e, consequentemente, não podiam receber nenhum tipo de ajuda. Se assim não fosse poderiam correr o rico de serem delatados. O plano, era percorrer uma distância de mais de dois mil Km. até chegarem à região da Rússia onde moravam as suas famílias. Assim passaram, neste longo caminho, por situações e riscos que nunca tivessem imaginado de serem capazes de enfrentar e apenas alimentados por sonhos e esperanças; conhecendo pessoas que eram solidárias e capazes de se comover com o sofrimento desses pobres caminhantes. Após essa fase da existência de ambos irmãos, a vida vai se transformar junto com o encontrou e a aventura que as andanças lhes propiciaram. Cada um e todos os capítulos posteriores tratam dos integrantes da família e das suas vidas, acompanhando o século e as conjunturas familiares, sociais e políticas no transcorrer do mesmo, do posterior e da atualidade. Os avatares que se seguiram nas vidas dessas pessoas, foram extremamente diversos e os percursos após o tempo passado, foram se tornando presente e futuro ao tempo que um destino misterioso, imprevisível e distante, desencaixou a ideia da unidade perene da família. Uma vez fragmentada a suposta progressão de um continuum familiar a traves dos tempos, foi sendo substituída sutilmente por uma vida mais plena a partir de se mesmo e da existência do outro enquanto alteridade.

Histórias com a guerra como pano de fundo sempre conseguem tocar a gente de uma forma única. Em “O renascimento em outras terras”, iremos conhecer a luta de dois irmãos Isaac e David, jovens russos que foram feitos prisioneiros do exército alemão e colocados para trabalhar em condições precárias em uma mina de carvão.

Fugir não é uma opção, é uma necessidade, mas essa escolha é tão perigosa quanto definhar nas mãos dos alemães, que fazem questão de espalhar o terror sempre que podem.

Mas se acham que a história se passa apenas nesse plano, estão enganados! Não posso me alongar, pois a partir daqui qualquer novidade será spoiler, e o mais interessante dessa história é ver como David e Isaac tentarão se restabelecer em um mundo novo.

Assim que esse livro me foi cedido, eu tinha certeza de que iria gostar. Livros que se passem tanto na Primeira quanto na Segunda Guerra Mundial sempre acabam mexendo comigo, e não foi diferente dessa vez.

A escrita da escritora Silvia Gerschman é bem fluida, e quando nós percebemos, já devoramos a história (que possui menos de 200 páginas). Com uma diagramação que só a Editora Patuá possui, foi um pacote completo!

Esse é o primeiro romance que leio da autora, e gostei muito de ver a sua competência para criar histórias envolventes.

Um comentário

  1. Tudo que envolve guerras sempre nos emociona de alguma forma. É um misto de sentimentos inexplicável.
    Ainda não conhecia este livro,mas já fiquei em poder saber mais da história destes jovens que tiveram que recomeçar.
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!