Mil palavras, Jennifer Brown


O namorado de Ashleigh, Kaleb, está prestes a partir para a faculdade e a jovem está preocupada que ele se esqueça dela. Então, em uma famosa festa de final do verão, as amigas de Ashleigh sugerem que ela mande uma foto nua para ele. Antes que possa mudar de ideia, Ashleigh vai para o banheiro, tira uma foto de corpo inteiro em frente ao espelho, e aperta a tecla “enviar”.Mas o término do relacionamento do casal é ruim e, para se vingar, Kaleb encaminha a foto para sua equipe de beisebol. Em pouco tempo, a foto viraliza, atraindo a atenção do conselho da escola, da polícia e da mídia local. A pena ordenada a Ashleigh pelo tribunal é prestar serviço comunitário, e é onde ela conhece Mack, um jovem que oferece uma nova chance de amizade, e é o único que recebeu a foto e não olhou.

A aclamada autora Jennifer Brown traz aos leitores um romance emocionante sobre honestidade, traição e redenção, amizade e atração, e integridade, mostrando que uma imagem pode valer mil palavras… mas nem sempre conta a história inteira.
Mil palavras
Ano: 2018 
Páginas: 208
Idioma: português
Editora: Gutenberg

“Uma imagem vale mais do que mil palavras. Mas não conta a história inteira.”

Ashleigh é uma boa garota, não dá trabalho para os pais, tira boas notas, tem muitos amigos e tem um namorado que está prestes a ir para a faculdade. Kaleb parece estar cada dia mais distante de Ash e seu mundo de garota do ensino médio enquanto ele aguarda os dias para mudar de cidade e começar uma vida nova como um responsável universitário. Sempre ocupado para ela, Kaleb sempre tem um jogo ou um encontro para se despedir dos amigos. 

Quando Ash vai a uma festa dos seus amigos sem Kaleb, Vonnie e Rachel sugerem que ela envie para ele um nude, para ele ver tudo o que ele estava perdendo. Mesmo não achando a atitude correta, Ash se deixa influenciar pelas amigas e a bebida faz o resto.

No ínicio, a foto parece ter dado o resultado esperado. Kaleb se aproxima de Ash e fica até mais carinhoso. Mas depois que ele vai para a faculdade e Ash começa a lhe cobrar atenção, Kaleb acaba divulgando a foto para todos os seus amigos da antiga escola. 

Lendo Mil Palavras descobri um termo que não conhecia: pornografia de vingança, ou revenge porn, que é justamente o que Kaleb fez com Ash. Mas o pior disso tudo é a forma como Ash passa a ser vista e julgada por todos. Em uma sociedade tradicionalmente machista, errado não é o homem que divulga uma foto íntima de sua namorada. Mas essa sociedade não vai aliviar na hora de julgar essa mulher que, mesmo inocentemente, quis dar uma prova de amor para o seu namorado. Ela é a vulgar, suja, promíscua e vadia, e ainda acham que isso dá direito de qualquer homem se aproximar dela com intimidade. 

Logo de início descobrimos que Ash está prestando serviço comunitário e, aos poucos, a história de como ela chegou até ali nos é revelada. É angustiante ver como as pessoas julgam não só Ash mas também os seus pais, chegando a culpá-los pela atitude da filha. 

Sou fã incondicional dos livros da Jeniffer Brown e não seria diferente com esse. A autora escolhe mostrar o lado mais cruel da história e sei o quanto isso pode incomodar alguns leitores. Mas é por isso mesmo que acho esse livro extremamente importante. Ele mostra o lado realista das pessoas, que julgam antes de conhecer o contexto, que atiram pedras sem se dar ao trabalho de entender as nuances de cada história. 

Ash é levada a julgamento num tribunal mas o pior julgamento que ela sofre é o de meninas como ela, que talvez já tenham mandado fotos parecidas ou já pensaram em fazer isso. A falta de empatia e de sororidade explícita nessa narrativa é o que mais me choca e reafirma o quanto ainda é necessário dizer que cada mulher tem o direito de fazer o que quiser com o seu corpo. E que a vítima é sempre vítima. 




Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!