• Home
  • Sobre o Blog
  • Colaboradores
  • Contato
  • Lendo com a Dani: Victoria e o Patife, Meg Cabot

    Neste romance histórico juvenil escrito pela autora de “O diário da princesa”, acompanhamos a trajetória de Victoria.
    Criada pelos tios na Índia, ela é enviada a Londres aos 16 anos para conseguir um marido. Mas é na longa viagem até a Inglaterra que a jovem encontra o amor, na figura de Hugo Rothschild, o nono Conde de Malfrey. Tudo estaria ótimo se não fosse a insuportável interferência do capitão do navio, Jacob Carstairs. Por que ele não pode confiar na escolha de Victoria? Por que ele não a deixa em paz? Estaria Hugo escondendo algo?
    Victoria e o Patife
    (Victoria and the Rogue)
    Autora: Meg Cabot
    Galera Record (2017)
    256 páginas 


    Capinha linda e fofa, tema histórico, que eu adoro, Meg Cabot que é um show, mas não foi tão bom quanto imaginei.

    Vamos ler o motivo?

    Li e amei A Mediadora, Quando cai o raio, etc... então estava com uma expectativa lá nas alturas ao ver este livro.

    Acostumada com as mocinhas duronas e independentes da autora, não esperei nada menos de Victoria, e nisto ela é igual às outras, no entanto, ela tem toques muito fúteis, repara em defeitos que me soaram ridículos. (A altura do colarinho do rapaz?! Faça-me o favor!)

    Victoria Arbhutnot é filha de um duque, viveu com seus tios na Índia após ficar órfã mas, aos dezesseis anos, eles já não queriam esse encargo e mandaram a jovem para a Inglaterra.

    No navio, Victoria vai conhecer o Capitão Jacob Cairstairs, bonito, espirituoso e que está sempre por perto, especialmente quando Hugo Rotschild embarca no Harmonia.

    Victoria e Jacob, vira e mexe, trocam farpas, o rapaz tenta atrapalhar o que imagina ser a corte de Hugo para a jovem. Não sabemos o motivo, e Victoria acredita que seja apenas por ele não gostar dela.

    E desde o desembarque ela mete o nariz em tudo. Na cozinha dos tios, na criação dos primos, na vida de uma das primas.

    E embora critique tanto os modos de uns, ela faz coisas irrepreensíveis para uma dama. E se acha no direito.

    O livro não é de todo ruim, temos cenas engraçadas, os diálogos dela com o capitão são muito engraçados e um tanto enervantes se você, assim como eu, gostar de Jacob.

    Sendo uma trama de Meg Cabot, podem aguardar por cenas bem agitadas, nas quais a mocinha mostra a que veio.

    Adorei Jacob e Rebecca, Hugo que tem seu segredo e nos mantém com a pulga atrás da orelha durante a leitura.

    Se Victoria fosse menos irritante, eu, com certeza daria uma nota melhor. Mas só posso dizer que fiquei pesarosa pelo Capitão tendo de aturar uma garota tão mimada e cabeça dura.

    Meg Cabot trata de amor, da demora em enxergarmos a verdade quando não queremos ver, e que. embora para uns sejamos um espelho, para nós mesmos podemos ser uns cegos.

    Apesar de não ter gostado do livro, recomendo que leia e tire suas próprias conclusões, afinal, vi muitos elogios positivos no Skoob e Goodreads!


    11 comentários :

    1. Oi Dani!
      Nunca li nada da Meg Cabot e não sei como é a escrita dela. É muito chato se decepcionar com um livro :/
      Eu achei a história bacana e parece ser legal.
      A Victoria esta um enigma pra mim rsrs
      Não lerei agora, mas talvez mais na frente.
      Abç Dani!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Oi Nayane, a Meg escreve super bem, a trama é muito boa, mas a Victoria não me conquistou como Suzana nem Jéssica.
        Mas talvez seja uma boa leitura pra você.
        Obrigada por comentar.

        Excluir
    2. Olá!
      Acredita que nunca li nada da Meg?
      Queria muito ter lido O Diário da Princesa quando era mais nova, mas acho que vou dar uma chance pra esses livros em breve.
      Gostei muito da sua resenha, você escreve super bem! Mas fiquei triste por saber que você não gostou tanto assim. Como não costumo ler muitos livros de romance, acho que minha opinião vai ser parecida com a sua. :/
      Mas ainda assim pretendo dar uma chance pra Meg, começando por O Diário da Princesa <3
      Beijos

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Sabe que nunca tive vontade de ler O diário da princesa, apesar de adorar os filmes? Kkkk
        Obrigada, tentou evitar erros o máximo que posso e ser objetiva.

        Excluir
    3. Oi Dani, eu já li uns históricos da Meg escritos como Patricia Cabot e somente um não me agradou e assim fiquei empolgada com a sinopse e essa capa fofa, mas preocupada com o toque juvenil da trama e justamente pelo fato de que eu poderia vir a achar a protagonista irritante haha, e infelizmente todas as resenhas que leio desse livro, remetem aos mesmos problemas. Ainda assim, quero ler e ver no que vai dar. Curti a resenha e espero ler o livro, nem que seja pra concordar as criticas, mas vou dar um tempo, há outras leituras que tenho certeza que vou gostar na frente ;)

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Olá Lili. Ainda não li os históricos adultos da Meg. Esse infanto não me agradou e olha que gosto muito do gênero e da categoria.
        Pode ser que você goste.

        Excluir
    4. Dani!
      Já tinha lido alguns comentários que esse livro da Cabot tinha ficado muito aquém dos outros dela...
      Ainda assim, gostaria de ler porque é um chick-lit e gosto de dar boas risadas, mesmo com suas ressalvas.
      Desejo uma ótima semana!
      “O que importa afinal, viver ou saber que se está vivendo?” (Clarice Lispector)
      Cheirinhos
      Rudy
      TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
      http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Espero que seja uma boa leitura para você Rudy. ;)

        Excluir
    5. Oi, Dani!!
      Acho que nunca li nada da Meg Cabot. E também não fiquei bem entusiasmada para ler essa história então eu passo a indicação.
      Bjoss

      ResponderExcluir
    6. Olá Dani ;)
      Sou uma das maiores fãs da Meg. Na realidade foi com ela que comecei a gostar de ler!
      Adoro todos romances dela, e acho que com Victoria e o Patife não vai ser diferente.
      Que pena que você não gostou tanto assim, e que chato que a Victoria é meio fútil. Tinha me animado em ler porque vi outra resenha que dizia que ela era meio parecida com a Suze de A Mediadora, uma das minhas séries favoritas de todos os tempos, mas pelo visto não é!
      Mas vou ler e tirar minhas próprias conclusões.
      Bjos

      ResponderExcluir
    7. Aquele baque quando a autora que você tem expectativas lá em cima não tá com tudo aquilo no livro, da sensação de que você foi traída ou trocaram quem estava escrevendo. Eu nunca li nada dessa mulher então não tenho muito o que comentar e minha curiosidade.pra ler o livro é mínimo então não sei oq eu vai rolar. Mas valeu pela sinceridade da resenha.

      ResponderExcluir

    O seu comentário alegra o nosso dia!!!