Espiral - Contos e Vertigens, Luciana Chardelli



A escrita vem em tom confessional, na forma de diários ou cartas, e cada conto parece formar um mosaico de uma narrativa maior, que é a vertigem da própria vida, com seus laços, seus nós e seus desencontros. É assim que alguns elementos-chaves vão se fechando, em espiral, ao longo dessas histórias que se desvelam da forma mais intimista – como se fossem narradas para alguém muito próximo, que é como nos sentimos ao entrar num universo de ficção que quase parece real.

Espiral: Contos e Vertigens
Luciana Chardelli
128 páginas
Editora 7 Letras 
(12 agosto 2020) 
Idioma: Português


Em formato de contos, o livro Espiral é um compilado de confissões que transmite mensagens inteiras de formas indiretas, mas que apresenta a capacidade de pensar, de enxergar em meio a momentos em que autor e leitor se encontram em uma “espiral de emoções” que pode afetar qualquer individuo de qualquer forma ou idade. Um confessionário de situações cotidianas em forma de pequenos dizeres ou grandes cartas, mas que guardam em si a confissão de um rumo maior, de uma história grande que pode ser contada em partes, a vida de alguém que se perdeu na tentativa de se encontrar. 

“Peço ao Padre Eterno que olhando o meu inferno venha me abençoar.”

O livro possui oito contos, alguns maiores que outros, mas ao decorrer da leitura percebemos que se trata de um mesmo narrador, contando sua história através de enlaces com outros indivíduos que passaram por sua vida, são momentos sobre passado e presente que nos faz refletir, desperta o interesse e abre o questionamento sobre a vivência daquele personagem. Tudo se traduz de forma escura, mas carregando um entendimento que pode marcar o leitor de diversas formas, seja positiva ou negativa. 

“Perdoo todos os seus silêncios, embora não possa perdoar teus segredos.”

Confesso que enquanto lia no começo de cada conto me sentia confusa, até que o entendimento começava a surgir e acabei entendendo momentos depressivos de personagens, bem como momentos de puro terror, momentos esses que ao ler me causaram uma profunda reflexão, pois sempre penso em quantas pessoas passam pela situação da solidão e do medo de falar sobre determinados assuntos. 

O livro em si abre portas para que possamos entender como funciona a mente de alguém que viveu momentos de abandono, momentos solitários em que precisou lidar sozinho com situações como o fim de um relacionamento ou o abuso sofrido em meio ao ambiente familiar. De todos os contos lidos, o que mais me tocou foi “O menino onda” que em meu entendimento retrata um abuso sofrido pelo garoto, é uma história que não deixa nada explicito, mas que em meio a leitura o entendimento bate à porta, pode não ser o que a autora quis retratar, porém enquanto lia só consegui sentir a angústia desse menino e com isso preciso deixar aqui registrado o aviso de gatilho. 

“Lembrar é parir vazios.”

É um livro impactante conforme o entendimento chega à mente de quem lê, mas também é um livro para refletir os seus vazios e buscar melhoras para as suas sanidades. Recomendo a leitura, mas peço que esteja preparado para entrar nesse Espiral. 

Se você já conhece o livro vem cá conversar comigo e se não conhece, mas curte contos, vai lá conhecer e depois vem contar o que achou. Um super beijo, fiquem com Deus e até mais.



Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!