(Quase) Borboleta, Helder Caldeira


Jared é fotógrafo e artista plástico, famoso por sua arte e por ser filho de duas grandes estrelas de cinema. Está em busca de sua obra - prima. Albert, um adolescente do subúrbio, é violonista do Reino das Testemunhas de Jeová e sonha com sua primeira história de amor. Os dois desejos se encontram, em um capricho do destino, na bela cidade de Vancouver, Costa Oeste do Canadá. Mas no caminho há uma série de adversidades: preconceitos, perseguições da imprensa e fake news, o poder do Estado, dogmas religiosos e fatalidades inarredáveis, e “se o amor é Deus em sua essência, quem há de ter a ousadia infame de dizer como Ele deve se manifestar?”.

(Quase) Borboleta
Helder Caldeira
Ano: 2020 
Páginas: 318
Idioma: português
Editora: Editora Quatro Cantos

Jared é um fotografo e artista plástico bastante famoso no Canadá. Também não é o único famoso na família, já que seus pais são atores bastante renomados no cinema. Quando parte em busca de inspiração para sua nova exposição, mas não esperava encontrar um novo amor.

Albert é um adolescente que procura viver sua ida da melhor forma possível. Vivendo com sua mãe, que lhe dá pouca importância, já que só procura viver e prol da sua religião. Seu refúgio se encontra nos momentos em que está ao lado de sua melhor amiga Fay, e seus momentos de solidão enquanto toca seu violino no parque.

Quando Jared coloca os olhos no jovem violinista, ele não esperava que a atração por ele fosse instantânea, e o que ele não sabe é que Albert também sentiria o mesmo. Porém, esse possível romance será marcado por polêmicas e exposições da mídia. Seria possível um amor sobreviver a isso?

Uma história marcada pelas polêmicas jurídicas e religiosas, visto que Albert é menor de idade e Testemunha de Jeová. Jared fará de tudo para garantir que sua imagem e a de Albert sejam levadas por boas notícias, mas só o destino e a força do amor que podem guiar essa luta.

Foi uma leitura cheia de grandes acontecimentos! Esse é o primeiro livro do autor que leio e foi uma história bem envolvente de se acompanhar. É uma história com muitas polêmicas envolvendo justiça e religião, e cabe aos personagens aceitarem essa realidade.

Além disso, a história possui alguns plot-twists que deixam a gente de queixo caído, e me vi chocado várias vezes! Porém, a única coisa que me incomodou foi o fato do romance acontecer bastante rápido e sem muita relutância, algo que me faz olhar torto para a história.

No mais, é uma boa história e que super-recomendo, pois a representatividade LGBT presente na história é forte e inspiradora, que pode servir de exemplo para muitas outras pessoas!


Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!