A menina da montanha, Tara Westover



Considerado o melhor livro de memórias dos últimos tempos, A Menina da Montanha narra a história verídica de superação da jovem Tara Westover.
Criada nas montanhas de Idaho, nos Estados Unidos, sem acesso à escola, livros ou médicos até os 17 anos, Tara cresceu totalmente isolada da sociedade, sem ninguém para oferecer uma educação formal, ou para protege-la dos ataques violentos de um irmão mais velho. Quando um dos irmãos da jovem conseguiu chegar à universidade e trouxe notícias da vida além das montanhas, Tara decidiu tentar um novo estilo de vida. Ela aprendeu, de forma autodidata, matemática, gramática e ciência, e conseguiu chegar à universidade, onde estudou psicologia, política, filosofia e história. Sua busca por conhecimento a levou para Harvard e Cambridge. E sua história se transformou em um livro de sucesso, publicado quando ela tinha apenas 29 anos.

Narrado com ritmo e fôlego de romance, o relato autobiográfico está há mais de 20 semanas no ranking do The New York Times, e já figura entre as principais listas dos mais vendidos do Reino Unido, Canadá, Itália e Irlanda, países onde foi lançado.

A Menina da Montanha
A trajetória real da americana que pisou numa sala de aula pela primeira vez aos 17 anos até a conquista do doutorado em Cambridge.
Ano: 2018 
Páginas: 352
Idioma: português

Tara Westover é a menina da montanha w nos conta sua história nesse livro que vai inquietar o leitor e levá-lo das lágrimas a grandes momentos de comemoração com a autora. 

Filha de pais mórmons e vivendo nas montanhas do Idaho, em um verdadeiro abrigo contra os Dias Finais construído por seu pai, que também mantinha um estoque de comida, combustível e arma, Tara foi criada sem acesso à educação formal nem a médicos, sendo ensinada e tratada em casa pela mãe, que acreditava ter recebido o dom de curar pessoas de óleos essenciais e do uso da energia. 

Tratada como os irmãos, trabalhou desde a infância no ferro velho do pai em serviços arriscados e inadmissíveis para uma criança além de ser bombardeada constantemente pelos discursos do pai contra o governo e as escolas e pelos ataques de violência do irmão mais velha que deixava marcas físicas e psicológicas. 

Confesso que em muitos momentos tive vontade de abandonar a leitura por conta dos abusos que Tara sofria e pela omissão de seus pais, principalmente de sua mãe, que fingiam não saber o que acontecia e concordava cegamente com todas as loucuras que o marido pregava, mesmo quando ela própria também se sentia oprimida. A única coisa que me fazia seguir em frente era acreditar que a força interior, o desejo de liberdade e a sede de conhecimento de Tara me trariam boas surpresas. 

Tara foi à escola pela primeira vez aos 17 anos, mas isso não foi barreira para impedir que ela chegasse a lugares onde ela nunca imaginou chegar. O que lhe faltava da educação formal, ela compensava com o dobro de dedicação e curiosidade, e a vontade de romper com uma vida de opressão e violência faziam com que ela não cedesse aos inúmeros obstáculos que ela superava. Apesar dos impactos de viver em uma sociedade completamente diferente de tudo o que conhecia, com pessoas com comportamentos, estilos de vida e princípios que não condiziam com tudo o que aprendeu e do impacto de descobrir um mundo totalmente diferente do seu, aos 27 anos, Tara Westover recebe o título de doutora na Universidade de Cambridge. 

Acredito que a riqueza da história de Westover está em nos mostrar que os excessos são sempre maléficos, não importa em nome de que eles são justificados. E que a força da mulher realmente não tem limites. 

Nenhum comentário

O seu comentário alegra o nosso dia!!!