A busca, Eric Heuvel


A história do Holocausto sob o ponto de vista de uma menina de dezesseis anos. Esse relato ficcional, que já vendeu mais de 100 mil exemplares no exterior, traça um amplo panorama das mudanças no mundo durante o nazismo.
Em 1933, Hitler subiu ao poder e iniciou uma caçada implacável aos judeus. Com apenas dezesseis anos, Esther é bruscamente separada dos pais e refugia--se em uma fazenda no sul da Holanda. Muitos anos depois, em companhia do filho e do neto, Esther visita o lugar que lhe serviu de esconderijo e conta, pela primeira vez, as atrocidades que ela presenciou e viveu durante o Holocausto. Para a protagonista de A busca, remexer o passado é uma forma de encerrar esse capítulo de sua história, ao mesmo tempo em que tenta descobrir o que aconteceu aos seus pais, amigos e ao homem que arriscou a vida para abrigar dezenas de famílias judias em sua fazenda.

Contada de modo claro mas sem perder de vista que se trata de um livro juvenil, A busca é um abrangente panorama da perseguição nazista e de como as ideias de um homem afetaram de modo tão brutal a vida de milhões de pessoas. A busca foi publicado originalmente pela instituição holandesa Anne Frank House. À edição brasileira foi acrescido um posfácio do jornalista e escritor Gilberto Dimenstein.
A busca
Eric Heuvel
Ano: 2009 
Páginas: 64
Idioma: português
Editora: Quadrinhos na Cia

Na leva das HQs, hoje é dia de A busca, uma história sobre a Segunda Guerra Mundial e alguns sobreviventes do holocausto.

Quem nos conta sua própria história é Esther, uma senhora que sobreviveu a esse período tenebroso da história da humanidade quando tinha 16 anos e revela aos seus netos durante um almoço de família detalhes do seu passado, da perseguição sofrida como filha de judeus e como teve a sua família separada nos campos de concentração de Auschwitz-birkenau. 

Apesar de ser uma história de ficção, A busca transmite ao leitor a triste realidade de pessoas inocentes, de diversas nacionalidades, que tiveram suas vidas transformadas ou destruídas por conta da intolerância.

Mas A busca traz também uma bela história de amor entre Esther e Bob, que nos faz acreditar que esse é o maior sentimento do mundo.

Um comentário

  1. Gente, onde eu vivo que não conhecia esse livro ainda?? Eu sou apaixonada por isso do fundo de pano da Segunda Guerra, ainda mais com esse ar de Anne Frank!
    Listinha de desejados já!!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na flor

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!