Nova Era, Paloma Brito

Arien é uma elfa da luz que nasceu marcada por um elemento incomum. Graças a isso seus poderes são raros – e inúteis, na opinião dela – e a deixam vulnerável. Mesmo insatisfeita, Arien precisa aprender tudo sobre seus poderes porque o perigo está à espreita e mais perto do que ela imagina.
A vida de Arien muda completamente quando finalmente tem a ligação com seu Aías, sua alma irmã. Conhecendo o segredo de Calion e revelando sua própria história para ele, um sentimento novo cresce entre os dois enquanto o mundo em que vivem, Alfheim, é invadido e atacado pelos elfos negros sem nenhum motivo aparente.
Ameaçada e perseguida, ela terá de enfrentar seus temores para descobrir os mistérios que a cercam. E para permanecer viva.
Nova Era
#1
Paloma Brito
Ano: 2018 
Páginas: 224
Idioma: português
Editora: Pandorga

E aí, galera! Hoje eu trago a resenha desse livro MUITO incrível da minha amiga Paloma Brito, vem conferir!

De cara você é pego com essa capa linda! Baseei a Arien, a protagonista da nossa história nessa elfa. O livro tem uma escrita muito fluída e quando menos percebi, a história tinha acabado e eu fiquei louco para descobrir mais da história.

Em Nova Era nós embarcamos numa aventura com todos os traços da Mitologia Nórdica, temos elfos de luz e de sombras, anões e fadas encantadoras! Os reinos foram fielmente constituídos e se tivermos dúvida em alguma parte do livro, é só dar uma pesquisada na internet.

Vamos falar da Arien 💮 No início eu tinha vontade de dar uns tabefes nela! Arien tem um poder muito raro entre os outros elfos. Enquanto alguns possuem o poder dos elementos (água, fogo, terra e ar), Arien possui o Akasha, que é um poder concentrado na alma, utilizado para curar e ajudar quem precisa. Arien vê esse poder como uma porcaria, já que ela não sabe se defender sozinha e como ela ainda não tem o seu Aías (já já explico), sua única opção é treinar e pesquisar mais sobre seus poderes.
Ser um Aías é uma característica própria dos elfos de luz. Eles são as almas gêmeas entre os elfos e cada um possui o seu. Juntos, eles combinam suas forças para a possível guerra que acontecerá. A única desvantagem: se um deles morrer, a sua alma gêmea morrerá também. O que é obra do destino para alguns, pode ser tratado como uma injustiça entre aqueles que não merecem morrer (sofrimento em dobro dói).

O Aías de Arien se chama Calion, um rapaz que de cara você caracteriza como o gostosão bipolar. Certos momentos eu adorava ele, outros eu não entendia o motivo dele se estressar tanto, mas, no decorrer da história, nós entendemos o motivo dele ser selvagem assim.

Diferente de outras fantasia que costumo ler, Nova Era deixa tudo claro numa escrita sem enrolação, o que deve ter cuidado para não se atropelarem durante a leitura. Eu só gostaria que tivessem mais divisões entre os capítulos, para narrarem os acontecimentos entre os dias de forma mais organizada.


15 comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Eu gosto bastante de fantasia, mas não sei se gostaria de ler esse livro
    Mas parece ser bem legal
    E adorei essa capa!!

    ResponderExcluir
  3. Nunca vou me cansar de elogiar nossa literatura nacional. Ainda mais quando a gente se depara com livros deste nível!
    Amo o gênero e este livro tem realmente a capa maravilhosa e parece que personagens muito bem construídos, apesar de serem jovens!!!
    Com certeza, o livro vai para a lista de desejados!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Uau, mais uma vez a literatura nacional mostrando que é maravilhosa!
    Já fiquei interessada por conta desse reino (fadas, elfos, seres de luz me encantam).
    E me parece que apesar de um pontinho negativo, a história é bem desenvolvida.
    Injusto essa questão da alma gêmea, de partir o coração.
    Vou adicionar na lista porque realmente quero ler.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Minho!
    Como gosto de livros de fantasias e se trazem tantos seres fantásticos oriund da mitologia nórdica, fica ainda mais interessante.
    Pelo visto é um livro envolvente, mesmo com sua ressalva.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Não gostei muito da capa, mas pelo que entendi ela condiz com a história. Achei interessante a autora usar a mitologia nórdica (adoro essas coisas) e saber usar na medida certa, sem enrolação para alongar a história. Está na lista!

    ResponderExcluir
  7. Fantasia é um gênero difícil de escrever e fico feliz em ver um livro nacional de fantasia com uma estrutura tão bem elaborada e uma história bem engendrada, Minho. Que venham mais por ai! Besitos! ;)

    ResponderExcluir
  8. Achei a capa bem lindona mesmo!
    Adoro esse tipo de temática, apesar de não ter lido muitos livros relacionados.

    ResponderExcluir

O seu comentário alegra o nosso dia!!!